segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Ambição...

... é a palavra da vez. Será que sempre foi? Fico pensando, a respeito daquela piada de onde comprar o juízo. Mas na verdade, onde se compra a malícia, a ambição de que todos tanto falam? Gostaria que alguém tivesse um livro de auto-ajuda que explicasse essa situação.

Com isso, salto para outras questões: qual é o mal de não ter esse comportamento? De não querer ser o maioral, o destaque, a maior figura no carro alegórico? Isso seria um defeito, uma auto-sabotagem?

Mas se tantos são felizes assim, então, onde está o mal? Tantos são incapazes de ver o que está bem a frente dos seus olhos, e não estou falando da manchete do jornal. Então, como escolher de que lado estar? É preciso escolher. Sempre, sempre é preciso escolher.

Abra seus olhos, e vejo o céu de baunilha. Amo o filme Vanilla Sky, e acredito que pra quem o assitiu, ele deve ter um significado particular. Mas veja, tudo é passageiro. Cada minuto é uma chance para mudar tudo.

E talvez eu não saiba a grandeza de tudo, o que é mais e menos importante, o que deve ou não ser priorizado no âmbito profissional. Mas de uma coisa eu sei: EU NÃO PAREÇO COM VOCÊ!

(...) É a verdade o que assombra
O descaso que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos (...)
Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então
Tudo passa
Tudo passará (3x)
E nossa história
Não estará
Pelo avesso assim
Sem final feliz
Teremos coisas bonitas pra contar
E até lá
Vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos
O mundo começa agora, ahh!
Apenas começamos.
Metal Contra As Nuvens - Legião Urbana

3 comentários:

Thaís Morrison, disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Allan Spindola disse...

Massa !! Gostei desse texto!

Diego Sônego de Souza disse...

A ambição até pode ser uma coisa positiva. Na verdade até é. Porém isso só pode acontecer enquanto ela tenha um limite, um parâmetro para medi-la, isto é, ambição desmedida é ganância.
Enquanto a ambição de alguém encontra seu limite na ética, no crescimento como ser humano, no amor ao próximo, não há problema em ter ambição. Quando se desconsiderar tudo para ser ou ter mais, não se fala mais em ambição, e sim em ganância.
Mas, mesmo assim, as pessoas devem sempre se sentir à vontade para ter ou não ambição, aliás, é disso que trata o texto. Mas a preocupação das pessoas vai em competir com os outros, repetindo as mesmas coisas, e se tornando cada vez mais iguais, quando deveriam ter a ambição em serem únicas e originais somente, competindo consigo mesmas, ou seja, como é a ambição de não ter ambição da autora do texto.