sexta-feira, junho 26, 2009

The Way You Make Me Feel…

“Não existe nada tão mau, selvagem e cruel, na natureza, quanto os homens normais.” Herman Hesse

Se você odeia alguém, é porque odeia alguma coisa nele que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos perturba.” Herman Hesse

Como ele te fazia sentir? Como ele ainda o faz sentir? Triste? Enojado? Surpreso? Emocionado? Feliz? Indiferente? Você sente algo, do contrário o que está fazendo na frente da televisão, vendo sobre sua morte?

A morte de Michael Jackson talvez não tenha sido surpreendente. Ela vem para todos, essa é a única certeza. E para ele, era provável que não demorasse a chegar. Para alguns, ela esperou demais.

Mas afinal, quem morreu? Segundo Zwpcp27[1]Paulo Ricardo (é, aquele ex-vocalista da RPM, que morreu mas esqueceram de enterrar) o artista já havia morrido há tempos. Sua vida pessoal havia se posicionado à frente de sua carreira artística musical. Pode ser.

Após Thriller e o “moonwalk”, disco e coreografia que ajudaram a torná-lo inesquecível, ele havia mesmo se tornado algo maior; não havia mais para onde subir. Seu sucesso e sua criatividade haviam sido superados por ele mesmo. Ele jamais conseguiria superar o que ele mesmo tornou insuperável.

Morreu Michael Joseph Jackson? Sim, mesmo ele tentando arduamente que aquela criança jamais morresse. Morreu o menino inseguro, que queria ser bonito (mas não tinha tido a chance de perceber que não precisa mudar, pois já o era), eternamente jovem, eternamente amado. Morreu aquele que não queria nunca estar só, mas que já não confiava nos adultos, já não confiava nos seres humanos. Afinal, quem hoje consegue confiar?

MichaelJacksonDancandoEntão morreu o esquisito, bizarro, excêntrico, monstro, endividado, o boneco de bater e culpar que a sociedade escolheu.

Morreu o homem, renasceu o mito, nasceu a lenda.

Michael Jackson, o Rei do Pop, vive!

 

>>> Apenas deslizando ao som de: Remember The TimeMichael Jackson

*** Lar é onde o meu coração está! ***

2 comentários:

blogdozemarcos.com disse...

::: Lindo texto, Thaís! Uma homenagem digna do astro que foi Michael Jackson. Mesmo sabendo que a morte chega para todos nós, nossos ídolos sempre são imortais em nossas cabeças. Pelo menos para mim ele seria. Que vá em paz... Beijos.

Malvada disse...

Falar sobre a morte é uma tarefa difícil, tendo em vista, a análise de uma realidade irreversível inerente ao mundo dos vivos. A morte sempre chega de surpresa, até mesmo quando o indivíduo encontra-se em estado de saúde delicado, mas, continua lutando pela vida e, de outro lado, a família, bem como os amigos, esperançosos por sua possível recuperação.
No universo racional dos homens, pode-se afirmar que a única certeza da vida é a morte, no entanto, a grande maioria dos homens a temem, e se pudessem adiariam-na convictos, mas teria ele ainda vontade de viver?
Vazou pela internet, sobre a autopsia feita nele....então me pergunto...teria ele vontade de continuar vivendo?
Belo texto o seu querida, é uma honra para ele receber suas palavras, tenho certeza que onde ele estiver,seu coração sentirá todas as manifestações de carinho, como a sua.Quer saber? Eu também admiro este astro que virou lenda. Que Deus o receba de braços abertos.
Malvada